O violinista brasileiro Cármelo de los Santos desfruta de uma movimentada carreira como solista, camerista e pedagogo. Desde sua extensa experiência como concertista às recentes apresentações dos 24 Caprichos de Paganini, seu virtuosismo e compromisso musical tem cativado o público internacionalmente. 

 

Ganhou projeção nacional aos 16 anos quando foi o mais jovem vencedor do mais importante concurso musical brasileiro, o “VII Prêmio Eldorado de Música”, em São Paulo. Desde então vem se apresentando como solista convidado de mais de 40 orquestras, incluindo a New World Symphony, Santa Fe Pro-Musica, as sinfônicas de Southern Mississippi, Santa Fe, e New Mexico, a Filarmônica de Montevidéu, Orquestra Musica d’Oltreoceano (Roma), e as principais sinfônicas brasileiras como a do Estado de São Paulo, Brasileira e Petrobrás Pró-Música. Cármelo tem colaborado com renomados regentes como Michael Tilson Thomas, Alejandro Posada, Jean-Jaques Werner, Guillermo Figueroa, Eric Shumsky, Rodolfo Saglimbeni, Yeruham Scharovsky, Jorge Pérez-Gómez, Roberto Tibiriçá e Jean Reis, entre outros.

 

Cármelo fez a sua estréia em Nova Iorque em 2002 como solista e regente no prestigioso Weill Recital Hall do Carnegie Hall  junto à Orquestra de Câmara ARCO. 

 

Cármelo foi premiado em diversos concursos internacionais entre eles o primeiro prêmio no IV Concurso Internacional de Instrumentos de Corda “Júlio Cardona” (Portugal), o primeiro prêmio no concurso promovido pela Associação Nacional de Professores de Música (Estados Unidos) e o segundo prêmio no Concurso Internacional de Jovens Artistas (Argentina). 

 

Com a pianista Carla McElhaney e o violoncelista Joel Becktell formou o grupo REVEL, uma “banda clássica” baseada em Austin. O grupo acredita que o poder transformador da música é melhor compartido num ambiente informal e íntimo. Eles apresentam eventos chamados revels (“folias”) nos quais a platéia desfruta a música “em primeira mão”. O grupo toca obras-primas para duos e trio com piano, também arranjando obras modernas e populares em um estilo singular que tem se tornado o alicerce de seu repertório. Em 2012 lançaram o CD Magic Hour com obras de Beethoven, Piazzolla e Kenji Bunch.

 

O seu comprometimento com jovens músicos o traz a festivais de música e master classes por todo o mundo. No Brasil, Cármelo tem especial satisfação em trabalhar com alunos de programas socias semelhantes ao famoso El Sistema venezuelano: Instituto Baccarelli, Projeto Guri e Fundação Amazônica de Música.

 

Obteve o diploma de Bacharelado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul,  Mestrado na Manhattan School of Music, Nova Iorque, e Doutorado na University of Georgia, Geórgia, EUA. Seus professores foram Fredi Gerling, Marcello Guerchfeld, Sylvia Rosenberg e Levon Ambartsumian. Tocou para importantes nomes do violino mundial como Isaac Stern, Boris Belkin, Eugene Fodor e Shlomo Mintz, entre outros.

 

Lançou em 2009, com o pianista Ney Fialkow, o CD “Sonatas Brasileiras” com obras de Villa-Lobos, Guarnieri e Santoro (Selo UFRGS) pelo qual recebeu o Prêmio Açorianos 2009 de Melhor CD Erudito e Melhor Intérprete Erudito.

 

Dois CDs serão lançados em 2013: “Peças Brasileiras” – peças curtas para violino e piano por compositores brasileiros, Ney Fialkow ao piano; e “Compositores Franceses”, gravado ao vivo no Festival de Música de Câmara Bonneville (EUA) com obras de Debussy e Chausson, junto ao pianista Guigla Katsarava. 

 

Destaques da temporada de 2013 serão a gravação em CD dos 24 Caprichos de Paganini e um convite para julgar o Primeiro Concurso Internacional de Violino “Centro Tóquio de Artes” em Kobe, Japão.

 

Cármelo é professor titular na Universidade do Novo México, Albuquerque, EUA, onde ele vive com a sua esposa Eugenia e o seu filho Arthur. Cármelo toca num violino Carl Becker, 1929.

CÁRMELO DE LOS SANTOS

Violino

 

55 49 3221-3377 ou 3388

Circuito de Festivais | 2019 | Direção Artística: Maestro Jean Reis